Por que não Arduino?

Se você observar a maioria dos blogs e sites estilo maker e DIY de eletrônica, verá que quase todos, em maioria esmagadora, usam Arduino. Por outro lado, se observar este blog, não verá qualquer indício da possibilidade de aparecer algo sobre Arduino aqui. Este post é justamente pra dizer porque não uso esta plataforma e porque não pretendo usar.

"Na minha época..."

Voltemos a meados de 2005, 2006. Foi por aí que ingressei no mundo da eletrônica, com algumas revistas dos anos 80/90. Eu tinha cerca de 10 anos. O primeiro circuito que lembro ter montado foi um multivibrador astável com dois BC548. Circuito clássico. E a partir daí avancei: usei o famoso 555, 4017 e assim fui. Nessa época nem se falava em Arduino por aqui; na verdade, nem se falava em microcontrolador como algo acessível para simples hobbystas. Vamos avançar para meados de 2010. Vendo o crescente número de matérias usando microcontroladores nas revistas que meu pai comprava pra mim, eu fiquei indignado porque usavam algo complicado e que eu não entendia. Cadê os circuitos legais como eu fazia antigamente? Foi aí que percebi, por volta dos meus 14 anos, que havia algo mudando rápido na eletrônica. Decidi expressar minha revolta em um autodidatismo sobre MCUs. E foi assim, aos 15 anos, que comecei a escrever meus primeiros programas de verdade em BASIC, usando o compilador mikroBasic (se observar os arquivos do blog, foi aí que começaram os posts sobre microcontroladores). Comecei por ele porque achei um material bem fácil de entender na internet que usava ele (material brasileiro, inclusive!). Fiz meu primeiro programador JDM, ia na porta serial. Coisa chata de usar aquele IC-Prog. Enfim, daí pra frente foi só evolução. Novamente: 2010, 2011 nem se falava de Arduino por aqui ainda.

"Tempos modernos"

Após entrar na faculdade e aprender C, migrei para o mikroC e em pouco tempo para o MPLAB, para poder escrever códigos maiores sem a restrição do mikroC demo e usar o PicKit, uma vez que o programador JDM não funcionaria na minha nova placa mãe que não tem porta serial. E aqui estou até hoje: 3 famílias de PIC em uso (12F, 16F e 18F), MPLAB e PicKit fazendo a alegria. Mas se o Arduino está popular e relativamente acessível, por que ainda não me rendi? Acho mais fácil agora listar os motivos:

1) Desperdício: existem vários componentes em uma plataforma Arduino. Quando você monta seu projeto, geralmente a maioria dos recursos de uma placa dessas fica sem uso, ou seja: desperdício de dinheiro e componentes (matéria prima e por aí vai). Agora é que está bem fácil achar exemplos de como programar só o microcontrolador e usar ele no seu projeto sem usar toda a plataforma (não é exatamente o que fazemos aqui?). Ah, sem falar que quando a maioria queima o MCU seja lá pelo motivo que for, acaba jogando toda a placa fora ao invés de trocar apenas ele, ou seja, desperdício de dinheiro e, o mais grave, mais lixo eletrônico por aí!;
2) Superficialidade: eu entendo que esta cultura DIY/Maker procura ensinar as coisas da forma mais simples, sem que você tenha que saber tudo que está por trás. Essa foi a grande sacada da Arduino: você não precisa saber exatamente como funciona o módulo I²C pra usar um RTC: já tem a biblioteca pronta. Até a conversão do BCD pra decimal ela faz! E eu acho isso sensacional! Além de poupar tempo e esforços, permite que leigos ingressem nesse mundo fantástico de forma fácil e rápida. Não é difícil ver crianças hoje de 12 anos programando para Arduino (e eu fico encantado vendo isso). Mas e depois? Como crescer? Embora o compilador ofereça suporte à programação sem bibliotecas, por que sair do comodismo? Onde encontrar material? A maioria das pessoas acaba presa e acomodada nas bibliotecas - o que não é necessariamente ruim - enquanto aqueles que querem realmente avançar acabam tendo dificuldade de encontrar material que explique as coisas mais profundamente.
Entendam que não estou julgando quem use as bibliotecas (eu era um grande usuários delas nos compiladores da mikroE), mas acho ruim a falta de exemplos de como elas funcionam e mais importante, de como o microcontrolador realmente funciona.

"Você odeia o Arduino? Nunca vai usar?"

Como diria o filósofo Píton Justin Bieber: "nunca diga nunca". Eu não digo que nunca usarei. Como eu disse, a grande sacada da Arduino foi criar algo que poupe tempo e necessidade de conhecimento em programação. Como tenho planos ambiciosos para o meu TCC, o Arduino pode acabar me poupando tempo caso eu sofra para criar o firmaware para o PIC, deixando mais tempo para o que de fato quero investigar no meu TCC. Vejo bastante gente usando Arduino na faculdade, e quando ele não é suficiente, migram para outras plataformas mais potentes (BeagleBone, LauchPad). O que eu não considero é hoje, apenas para aprendizado e hobby, entrar no mundo do Arduino. O PIC tem me satisfeito até hoje, já criei várias coisas legais com ele (algumas permanecem montadas e operando até hoje). Pra mim, seria desperdício de tempo e dinheiro migrar para o Arduino. Eu sei que isto pode prejudicar a visualização do blog, mas acho legal mostrar uma outra possibilidade pra quem quer entrar neste mundo dos microcontroladores. Cabe a cada um escolher o que melhor lhe convém.
Está começando agora, entende pouco de eletrônica e nada de programação? Arduino é uma ótima escolha sim! Será muito mais fácil permanecer motivado se começar aprendendo com ele. Mas a partir do ponto que quiser saber mais como as coisas funcionam (ainda mais se cogita estudar ciências da computação ou engenharia eletrônica), sugiro ou abandonar as bibliotecas ou vir para o PIC.

Quero deixar claro caso alguém não tenha entendido: não odeio o Arduino, acho que ele é extremamente útil e a sacada dos seus criadores foi genial, mas o objetivo deste blog, por hora, não será falar de Arduino, mas sim prover informações para aqueles que não tem dinheiro pro Arduino ou que querem um conhecimento mais detalhado de como as coisas de fato funcionam. Não sejamos radicais de falar de Assembly (embora fosse interessante), mas creio que só o fato de fazer suas próprias bibliotecas já lhe ensinará muita coisa.
Um abraço a todos e espero que não me apedrejem por causa disto haha

Comentários